Moradores de João Pessoa usam a criatividade para reaproveitar água


Para reduzir o consumo, o desperdício e também altos custos na conta de água, moradores deJoão Pessoa estão usando a criatividade e investindo em alternativas mais econômicas. Em alguns casos, a população tenta driblar o gasto relacionado ao uso da máquina de lavar, responsável por um consumo médio de 135 litros de água, a cada uso, segundo dados da empresa de serviços públicos de saneamento básico no Estado de São Paulo (Sabesp). Essa quantidade é equivalente a um banho de ducha com duração de 15 minutos.


O desperdício de água tratada em toda a Paraíba, segundo a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) é de quase 40%, o que poderia abastecer por um ano a cidade de Campina Grande e Patos. O G1 oferece uma calculadora de cada item de consumo individual de água por dia. Clique aqui e tente ajustar seus gastos ao recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU).


A família de Ivan Germano é um exemplo de quem tenta fugir do desperdício. Ele e sua esposa, Jaqueline Germano garantem que conseguem economizar mais de 50% na conta de água investindo na criatividade do reaproveitamento.


O casal relata que a economia começou quando eles resolveram comprar um balde com capacidade para 200 litros e aproveitar a água das chuvas. “Em João Pessoa tem chovido muito. O melhor a fazer então é usar essa água para nos ajudar”, frisou Ivan.


De acordo com Jaqueline Germano, o balde comprado por eles fica em um ponto estratégico da área de serviço, pronto para receber a água da chuva e com apenas uma hora de tempo chuvoso a capacidade máxima é atingida. Depois de cheio, ela explica que usa um outro balde menor para colocar a água na máquina e assim ela não precisa usar a que é distribuída pela Cagepa.


A consequência dessa ideia simples, segundo Jaqueline, é de que nos último três meses a conta tem caído para 25% do valor, sem precisar diminuir o ritmo da lavagem da roupa da família de quatro pessoas. “Ao invés de gastar, nós aprender a reaproveitar”, conta. Na imagem ao lado é possível ver que a família pagava mais de R$ 44 e nos últimos meses o valor não passa dos R$ 11.


Já para a Família Cavalcanti, que também mora em João Pessoa, a experiência de uma parente que mora em São Paulo foi fundamental para enfrentar o desafio do gasto da água da máquina de lavar de uma maneira considerada por eles eficiente. “A mãe da minha esposa nos conscientizou e nos ensinou técnicas simples, mas que ajudaram muito”, disse Éder Cavalcanti.


Segundo Éder, que mora com sua esposa e três filhos, sua família armazena a água usada na máquina de lavar em bacias grande para deixar de molho as roupas do filho, limpar os panos de chão e lavar o terraço, por exemplo.


Além disso, Éder contou outra tática usada para vencer dois problemas. “Quando chove temos goteiras, então decidi colocar baldes onde cai a água da chuva e reaproveitar para os trabalhos de limpeza da casa e principalmente como uma forma de descarga nos banheiros”, explicou ele.


A economia pode ter um grande impacto no abastecimento público, já que o setor residencial é responsável por 89,22% do consumo de água na Paraíba, segundo dados da Companhi de Abastecimento de Água e Esgoto (Cagepa).


De olho nisso, a companhia diz que está intensificando ações visando diminuir as perdas de água, como substituição de 120 mil hidrômetros só este ano, automação de sistemas, incremento de equipes para retirada de vazamentos e forças-tarefa na fiscalização de águas cortadas e desvios fraudulentos.




G1 PB

Postagem Recente

Contatos:

(83) 9 9113 4151

(83) 9 9612 6828

 

 

Jatobanet.com.br - Cobertura de Eventos

2005 - 2021 © Todos os direitos reservados.