Saúde confirma mais uma morte por dengue na PB e doença cresce 107%


A Secretaria de Estado da Saúde divulgou, nesta segunda-feira (1º) novo boletim da dengue, zika e chikungunya. De acordo com os dados, de 1º janeiro a 21 de julho de 2016 (29ª semana epidemiológica de início de sintomas), foram notificados 35.883 casos prováveis de dengue. Em 2015, no mesmo período, registrou-se 17.293 casos, evidenciando um aumento de 107,50%. Quanto ao número de mortes, foram notificadas 34 como suspeitas de dengue, das quais cinco confirmadas (uma a mais que no boletim anterior), 10 descartadas e 19 seguem em investigação. De acordo com o boletim, foram registrados 3.787 casos suspeitos de zika vírus e 14.521 notificações de chikungunya, no período de 1º de janeiro a 21 de julho de 2016. Foram registrados também 16 óbitos de casos suspeitos de chikungunya, sendo três confirmados e os demais em investigação.


Para o controle do mosquito Aedes aegypti, que transmite as três doenças, o Ministério da Saúde recomenda aos municípios a realização de visitas a todos os imóveis urbanos (residências, comércios, indústrias, órgãos públicos, terrenos baldios etc) e estruturas públicas (praças, parques, jardins, bueiros etc), do território, nas seguintes datas: o quinto ciclo deve ocorrer até o dia 31 de agosto; o sexto, até 31 de outubro e o 7º ciclo até o dia 31 de dezembro.



SAIBA MAIS:


Dose da vacina contra dengue custa em média R$ 134,63 na PB


A dose da vacina da dengue na Paraíba vai custar R$ 134,63, conforme divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Em todo o Brasil, O preço da vacina vai ficar entre R$ 132,76 e R$ 138,53. Os valores poderão ser comercializados nas diferentes alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) vigentes no Brasil.


A vacina será produzida pela a Sanofi-Aventis, a única empresa no país com registro de uma vacina contra a dengue, chamada de Dengvaxia. De acordo com a Anvisa, o tratamento com a vacina inclui três doses, com seis meses de intervalo entre elas. Outras vacinas para a prevenção da dengue ainda estão sendo analisadas pela Anvisa, para que possam ser comercializadas no Brasil com segurança e eficácia. A vacina será produzida pela a Sanofi-Aventis, a única empresa no país com registro de uma vacina contra a dengue, chamada de Dengvaxia. De acordo com a Anvisa, o tratamento com a vacina inclui três doses, com seis meses de intervalo entre elas. Outras vacinas para a prevenção da dengue ainda estão sendo analisadas pela Anvisa, para que possam ser comercializadas no Brasil com segurança e eficácia.



Portal Correio

Postagem Recente